Está com má digestão? Isso pode indicar que o pâncreas está com problemas

Author

Categories

Share

Sabe aquela sensação ruim de que a comida “não caiu bem” após comer aquela refeição? Então, é muito comum, mas em alguns casos, quando o desconforto é constante e vêm acompanhado com desconforto, distensão abdominal e flatulências constantes, diarreia e ainda nota perda de peso e outros sinais ou condições pré-existentes pode ser que o problema não seja uma simples má digestão, e sim um alerta de que o pâncreas não está bem.

O pâncreas é uma glândula pequena que está localizada atrás do estômago e é responsável pela produção de alguns hormônios e enzimas importantes, que participam do processo digestivo.

Ele é fundamental para o bom funcionamento do organismo. No entanto, devido a algumas situações, como hábitos de vida pouco saudáveis ou obstrução das vias biliares, por exemplo, esse órgão pode sofrer alterações no seu funcionamento, resultando em doenças que podem ter graves consequências para a pessoa caso não seja identificada e tratada rapidamente.

Quando este órgão não funciona corretamente podem surgir doenças como diabetes, problemas digestivos, inflamação ou câncer. Por isso, deve-se consultar um endocrinologista ou ir ao pronto-socorro caso ocorram sintomas frequentes de dor no abdômen, náuseas e vômitos para diagnosticar alterações no pâncreas e iniciar o tratamento mais adequado.

As principais funções

As principais funções do pâncreas estão relacionadas com o tipo de célula do pâncreas e substância produzida. As células conhecidas como ilhotas de Langerhans são responsáveis pela produção dos hormônios insulina e glucagon, enquanto que as células dos ácinos pancreáticos produzem enzimas que participam da digestão dos alimentos.

Sendo assim, as principais funções do pâncreas são divididas em duas:

1. Controle da glicemia

As células das ilhotas de Langerhans do pâncreas tem uma função endócrina, pois produzem insulina e glucagon que são hormônios responsáveis por controlar os níveis de açúcar no sangue e o metabolismo do corpo. 

Além disso, estas células também produzem o hormônio somatostatina que controla a produção de insulina e glucagon, participando também no controle da glicemia.

2. Digestão de alimentos

O pâncreas endócrino, formado por conglomerados de células chamadas ácinos, produz o suco pancreático que contém enzimas como a amilase que digere carboidratos e açúcares, a tripsina que digere proteínas e a lipase que digere gorduras. 

Estas enzimas são liberadas no duodeno, que é a primeira parte do intestino, por meio de um pequeno tubo no pâncreas chamado ducto pancreático, permitindo a quebra dos alimentos em pedaços menores para que possam passar para o intestino, auxiliando na digestão dos alimentos e metabolismo dos nutrientes.

Sintomas de problemas no pâncreas

Os principais sinais e sintomas que podem levar a pessoa a desconfiar de algum problema no pâncreas incluem:

  1. Dor constante no abdômen;
  2. Pele e olhos amarelados;
  3. Urina escura;
  4. Sensação de má digestão após as refeições;
  5. Dor frequente nas costas, que não está relacionada com a postura;
  6. Sensação constante de barriga inchada;
  7. Náuseas frequentes e vômitos.

Embora estes sintomas sejam comuns em pessoas com algum tipo de problema no pâncreas também podem surgir devido a alterações no fígado ou vesícula biliar, por exemplo, e por isso, devem ser avaliados por um gastroenterologista ou hepatologista.

O tipo mais comum de problema no pâncreas é a pancreatite e, dessa forma, estes sintomas não chegam para fazer o diagnóstico de câncer. Sendo assim, se existir suspeita de câncer ou se já existirem outros casos de câncer de pâncreas na família, é muito importante consultar um gastroenterologista.

Alguns exames que podem ser usados para identificar o tipo de problema no pâncreas incluem ultrassonografia abdominal, tomografia computadorizada e alguns exames de sangue.

Como prevenir doenças no pâncreas

Algumas medidas podem ajudar a evitar ou reduzir os riscos de doenças no pâncreas como:

  • Comer menos gorduras na alimentação;
  • Manter o peso saudável;
  • Não beber álcool ou beber com moderação;
  • Não fumar;
  • Fazer exercícios físicos regularmente.

Além disso, caso já se tenha alguma alteração no pâncreas como pancreatite ou diabetes, por exemplo, é importante seguir as orientações do médico e fazer uma dieta equilibrada.

Author

Share